Tempo de leitura: 3 minutos

As pessoas já associam a atividade física mais aos cuidados com a própria saúde que às questões de briga com a balança. Em tempos de pós-pandemia, ficou ainda mais clara a importância de cuidar da própria saúde.

Manter uma vida ativa não garante ficar livre da contaminação por COVID-19, mas estudos apontaram que sedentários tinham uma chance de 32% maior de ficarem hospitalizados diante de um diagnóstico do vírus.

Essa preocupação se reflete na movimentação que as academias estão recebendo desde 2021, quando a vacinação avançou no Brasil e tornou os espaços de convivência mais viáveis ao coletivo.

Se toda crise traz consigo alguma oportunidade, acreditamos que os negócios fitness serão uma dessas áreas que colherão os frutos plantados pela maior consciência com a saúde.

Vamos falar sobre o mercado fitness e segmentos mais interessantes para o empreendedor nesse início de 2022.

Academias: do fechamento à guinada

O setor de academias foi um dos que mais sofreu durante os períodos de restrições devido ao coronavírus. O fechamento dos espaços fitness gerou uma queda de 87% de faturamento. Só não foi pior que o setor de turismo, com 88% de perdas, logo no início da pandemia.

Um número não oficial, publicado pela Revista Preven, dá conta que pelo menos 20% das academias fecharam suas portas por não aguentarem manter as atividades enquanto os decretos em favor do isolamento mantinham-se em vigor.

Em julho de 2020, estima-se que a queda nas vendas chegou a 75% e o volume de clientes ativos tenha ficado em 66%. O saldo de 2020 ficou negativo, com 25% de queda.

A boa notícia é que esses números prometem ficar no passado. Primeiro, porque a vacinação está avançando. Segundo, porque o próprio setor adotou regras de proteção para manter a segurança de seus alunos e funcionários.

Ambientes amplamente ventilados, obrigatoriedade de máscara e uso de álcool em gel entre os equipamentos são apenas algumas das mais comuns e básicas. Para 2022, a tendência é que a procura pelos treinos presenciais volte a crescer. Inclusive, as atividades em grupo.

Isso porque entende-se o momento da atividade física não apenas como benéfico para a saúde física, mas também mental. O convívio social, também prejudicado pela pandemia, passa a ser mais valorizado ao longo dessa retomada, e encontra-se elencado como tendência de bem-estar.

Benefícios das atividades maiores que o risco de contaminação

Com boa parte da população sedentária e aumentando o peso ao longo do período de restrições do coronavírus, ficou comprovado que o sedentarismo também pode ser uma “pandemia”.

O funcionamento de academias traz mais benefícios à sociedade do que riscos de contaminação. Inclusive, na Noruega, foi realizado um estudo que praticamente não detectou transmissões de COVID-19 em academias.

Um total de 3764 participantes, com idades entre 18 e 64 anos, de 5 academias diferentes foram testados para COVID-19 cerca de 20 dias após realização de atividades físicas em espaços. O resultado foi que nenhum positivou para o vírus, assim como não foi detectado em funcionários.

Por falar em benefícios, podemos destacar alguns dos que aparecem no Manifesto Internacional para a Promoção da Atividade Física no Pós-COVID-19: Urgência de uma Chamada para a Ação, elaborado pelo CELAFISCS – Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul.

Alguns dos principais são: 

  • Melhora da imunidade e menos inflamação do organismo;
  • Benefícios para portadores de condições crônicas;
  • Equilíbrio do hormônio do estresse (cortisol);
  • Produção de antioxidantes que podem impactar em menos complicações respiratórias da COVID-19.

Alta da procura e grande demanda por espaços de exercícios

Em paralelo a isso, a procura por atividades físicas que melhorem o condicionamento e reduzam os riscos de comorbidades em caso de infecção tem aumentado.

Além dos praticantes assíduos, que estão sempre em busca de espaços físicos para se exercitar, agora muitas pessoas que sequer pensavam em ter uma rotina fitness também procuram por atividades.

A estimativa da Associação Brasileira de Academias – ACAD, é que o setor tenha um crescimento entre 3% a 5% em 2022. A junção de todos esses fatores faz que esse seja o melhor momento para você investir em um negócio fitness. 

As franquias do Studio Mormaii contam com metodologia própria e exclusiva do treinamento, além da marca já consagrada e alta rentabilidade. Ideal para um público que nunca frequentou academia, sem decepcionar quem já conta com rotina fitness.

Clique aqui para conhecer nosso modelo de negócio.

Compartilhe

Comentários